Instituto lançará primeiro curso de graduação em Engenharia de Inovação no Brasil

O Instituto Superior de Inovação e Tecnologia (Isitec) oferecerá a partir de 2015 o primeiro curso de graduação em Engenharia de Inovação no Brasil, configurando-se como um projeto semelhante ao que é praticado em universidades internacionais, como a Texas University e Harvard University. O case do Isitec, montado em 2011 por uma entidade sindical (Sindicato dos Engenheiros do Estado de São Paulo- SEESP), foi o destaque da principal palestra, realizada na manhã desta sexta-feira (18), último dia da Soea, no auditório central. O instituto é o primeiro da América Latina a ser mantido por entidade sindical.

VEJA MAIS FOTOS DA PALESTRA

Saulo Krichanã: “Inovação se confunde com descoberta ou com um dom, mas é algo que transcende a tudo isso”
Saulo Krichanã: “Inovação se confunde com descoberta ou com um dom, mas é algo que transcende a tudo isso”

Em sua palestra, o diretor do Isitec, economista Saulo Krichanã, afirmou que a inovação é ampla e multidisciplinar. “É uma questão de postura e de comportamento. Confunde-se com descoberta ou com um dom, mas é algo que transcende a tudo isso”. Para ele, Leonardo Da Vinci foi um dos maiores inovadores de todos os tempos.

Krichanã acredita que algo é inovador quando consegue mudar o comportamento da sociedade, exemplificando o acesso às contas bancárias por meio do celular e a produção das Startups pela garotada do Vale do Silício. “Precisamos também agir com inovação no campo das políticas públicas sociais e separar, principalmente as políticas de Estado das de governo”. Ainda informou que as políticas de tecnologia e de ensino e inovação representam apenas 2% do Produto Interno Bruto (PIB), enquanto nos Estados Unidos são 6%. O economista finalizou afirmando que a inovação é sinônimo de inquietude e que o Isitec atingiu o 55º lugar no ranking do Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa).

“Isitec é uma contribuição do SEESP para a inovação e tecnologia nacional”
“Isitec é uma contribuição do SEESP para a inovação e tecnologia nacional”

O presidente da Federação Nacional dos Engenheiros (FNE), engenheiro eletricista Murilo Celso de Campos Pinheiro, falou que a unidade de ensino superior, sem fins lucrativos, criada pelo SEESP, é uma contribuição da entidade para a inovação e tecnologia nacional.

Inserção social
Murilo afirmou ainda que a Soea é um fórum privilegiado e muito importante para colocar em debate questões referentes à união da área tecnológica em favor de soluções para a saída da crise. “Precisamos nos inserir na questão social e lutar pela retomada das iniciativas favoráveis ao crescimento econômico e à geração de emprego e renda”, aponta, comentando o clima de pessimismo gerado pela corrupção.

Flávio Correia destacou a atenção do Sistema Confea/Crea e Mútua ao Isitec
Flávio Correia destacou a atenção do Sistema Confea/Crea e Mútua ao Isitec

Isitec no Sistema
Coube ao presidente do Crea-DF, Flávio Correia, falar sobre a inserção do Isitec no Sistema Confea/Crea e Mútua. Ele informou que serão estudadas formas de incluir os egressos da instituição, sem ter conflitos com as profissões que já existem e destacou ainda a Rede de Tecnologia, que está sendo conduzida pela parceria estabelecida entre o Crea-DF e a FNE.

Nadja Pacheco
Equipe de Comunicação Confea/Crea-BA
Revisão: Lidiane Barbosa
Fotos: João Batista Fotografias
Banco de imagens: João Anastácio e Paula Moreira

FacebookTwitterWhatsAppCompartilhar